Ubook recebe investimento milionário e aquece o mercado de audiolivros

O Ubook recebeu nesta semana R$ 3,2 milhões do Cypress M3 FIP, da Trivella Investimentos, uma gestora independente de recursos focada em empresas brasileiras de middle-market. “Globalmente, o setor de audiolivros já movimenta um mercado relevante. No Brasil, em pouco tempo, o Ubook conseguiu provar com números impressionantes que este segmento tem tudo para também se transformar em um potencial negócio, e nós queremos fazer parte desta história”, comenta Francesco Martino da Trivella. Com apenas dois anos e meio de sua criação, a startup 100% brasileira conta com mais de dois milhões de usuários cadastrados em sua base e já é considerada a maior plataforma de audiolivros por streaming da América Latina.

Outros números também expressam o progresso da empresa neste período. Quando o Ubook foi criado, em outubro de 2014, os fundadores conseguiram apenas algumas centenas de obras em áudio para incluir no catálogo, que era o que havia disponível no mercado local. Hoje, já são mais de 100 mil títulos e o número só cresce a cada dia. Além disso, a empresa já fechou parceria com mais de 100 editoras nacionais. Para muitas obras, o Ubook investe em toda a produção da versão em áudio, o que resulta, em contra-partida, na exclusividade da divulgação de muitos conteúdos. Com o aporte recebido, a produção de novos títulos deve ser intensificada.

Ainda sobre as parcerias com editoras, vale destacar a relevância que os conteúdos em áudio começam a receber deste setor. “Hoje, já conseguimos, em muitos casos, combinar divulgação simultânea de novos títulos, como ocorreu com o livro do Rick Bonadio, cuja versão em áudio foi lançada praticamente ao mesmo tempo em que o produto impresso. Em outros casos, já temos autores que estão lançando primeiro o livro na versão em áudio conosco, para depois publicarem a versão impressa, como ocorreu com o ‘Contando estrelas’, da Thati Machado. Estas parcerias sinalizam que, não apenas o consumidor, mas o mercado editorial e os autores já reconhecem a relevância que este novo formato tem”, diz Flávio Osso, CEO do Ubook.

Por este motivo, melhorias contínuas na tecnologia também serão contempladas com o investimento recebido. “O principal destino do recurso é o contínuo desenvolvimento da plataforma Ubook”, explica Osso. “Isto envolve desafios de conteúdo e de tecnologia, onde cada vez mais precisamos entender, selecionar, recomendar e entregar o conteúdo certo para o consumidor certo, seja um livro, um artigo de revista, uma palestra, podcast ou notícia”, esclarece o CEO.

A crescente aceitação do produto pelo público tem algumas explicações, segundo Osso. Além da facilidade da tecnologia – uma vez que a plataforma pode ser acessada de forma fácil por tablets e celulares, seja por meio de aplicativo ou acesso à Web – o hábito de otimizar o tempo também contribui. “Um bom exemplo disto é durante o trânsito. Seja para quem está dirigindo ou se locomovendo por transportes públicos, o tráfego é mais caótico a cada dia e as pessoas tendem a considerar este um período ‘perdido’. Ouvir um livro enquanto se está parado no trânsito traz a sensação de aproveitar muito melhor este tempo, pois a pessoa acrescenta cultura e entretenimento ao seu cotidiano, atividade que, provavelmente, não conseguiria incluir em sua agenda em meio aos compromissos do dia a dia”, esclarece. Diante deste cenáro, a expectativa é de que cada vez mais usuários se conectem ao serviço.

Para a distribuição do conteúdo, o Ubook também celebra parceria com todas as operadoras de telefonia celular do País. “Isso facilita a nossa distribuição em nível nacional e também demonstra a credibilidade que conquistamos junto a grandes players do mercado”, enfatiza o CEO.

Os resultados atuais já comprovam o sucesso deste setor no Brasil. Em 2015, o Ubook atingiu a marca de R$ 15 milhões em vendas; no ano passado, a empresa fechou R$ 25 milhões. Com o aporte recebido da Trivella, a empresa espera alavancar as vendas em 80%. Outro fator que comprova o potencial deste mercado é o fato de o Cypress M3 ter sido o segundo fundo a investir na empresa neste curto espaço de tempo. Em Junho de 2015, a empresa já havia recebido aporte da Koolen & Partners. “Acreditamos que a democratização da cultura, levando informação de forma acessível à população, é o caminho para transformar a sociedade. Por isso, acreditamos e investimos no Ubook e estamos muito felizes com os resultados que estamos colhendo”, pondera Rodrigo Borges, da Koolen.

Ao total, o Ubook já recebeu R$ 8 milhões em investimento direto, entre aportes dos sócios fundadores, Koolen & Partners e Cypress M3. “Os investimentos destes dois fundos mostram que, além do Ubook, há mais pessoas acreditando na construção de um mercado inédito, que pode transformar a sociedade através de cultura e educação em áudio”, comenta Flávio Osso.

 

você pode gostar também Mais do autor